Descobertas inexplicáveis

Assuntos diversos que não se enquadraram noutras sessões.

Moderador: Margarida

Avatar do usuário
Xevious
Administrador
Administrador
Mensagens: 433
Registrado em: Ter Mai 06, 2008 2:01 am
De onde voce vem?: Da Singularidade
Gender:
Brazil

Descobertas inexplicáveis

Mensagempor Xevious » Sex Fev 02, 2018 12:18 am

Ferro de Wolfsegg
Imagem


Este objeto foi descoberto na vizinhança da cidade de Wolfsegg na Áustria, por volta de 1886, durante os trabalhos de exploração em uma mina de carvão. O objeto é uma massa de ferro cúbico, pesa pouco menos de um quilo e mede aproximadamente 10 centímetros. O cubo foi encontrado na camada terciária que corresponde a um período geológico de entre 65 a 1,8 milhões de anos, na Era Cenozóica.

No começo, eles pensaram que o objeto era um meteorito, mas uma análise detalhada acabou descartando essa hipótese. De acordo com a análise, aparentemente o metal foi moldado com os métodos atuais.

De acordo com os teóricos, o Cubo de Salzburgo é um OOPA dado a sua antiguidade. E seria um pedaço de um motor ou maquinário de origem extraterrestre. Mas os especialistas assumem que a peça não é tão antiga quanto você pensa. Em 1910, o Cube desapareceu do Museu de Salzburgo, um fato que despertou a curiosidade pública sobre esse objeto. Anos depois, estava localizado no Museu Heimathaus em Vöcklabruck, na Áustria.



Discos de pedra Dropa
Imagem


A história das pedras Dropa começou em 1938, quando uma expedição arqueológica liderada por Chi Pu Tei investigou a região remota das montanhas Baian-Kara-Ula, na área fronteiriça entre a China eo Tibete. Esses arqueólogos descobriram cavernas que mostraram sinais de terem sido ocupadas por povos primitivos. Os objetos recuperados dessas cavernas são bastante estranhos e controversos. As cavernas continham uma série de túmulos e as paredes estavam decoradas com desenhos que mostravam pessoas com cabeças alongadas e imagens do Sol, a Lua e as estrelas. Os arqueólogos também encontraram pedras redondas na forma de discos de cerca de 30 centímetros de diâmetro, com um buraco no centro. Em torno desses discos foram gravados alguns símbolos de origem desconhecida que formaram um intrincado alfabeto.

Alguns rumores dizem que a Universidade de Pequim enviou grupos de especialistas para estudar a descoberta não confirmada de dezenas de outros discos que constituem uma espécie de biblioteca. Os artefatos teriam sido armazenados pela Universidade, mas roubados pelos japoneses durante sua ocupação na Segunda Guerra Mundial.

Durante a década de 60, apareceram alguns documentos e fotos que mostravam as misteriosas Discos de Dropa. Para alguns teóricos, esses discos contêm uma narrativa completa sobre a queda de uma espaçonave no local há cerca de 12 mil anos. Os sobreviventes deste acidente teriam sido reverenciados pelos habitantes primitivos da região que herdaram uma série de avanços tecnológicos. Os alienígenas teriam se misturado mesmo com os humanos e usaram a tecnologia dessa raça para gravar as pedras para cortar sua história perfeitamente.



Fonte Magna
Imagem


A Fonte da Magna é uma espécie de tigela de pedra descoberta nas proximidades do Lago Titicaca, na Bolívia nos anos 50. O objeto está decorado com muitas inscrições que alguns acreditam serem de origem suméria, proto-suméria e mesopotâmica.

O objeto foi enterrado em uma região habitada no passado por tribos que a consideravam sagrada. Possivelmente, esse vaso foi usado em rituais religiosos como uma tigela de libação, usado para limpar as impurezas do corpo e do espírito.

Imagem

Acredita-se que essas inscrições são prova de que os povos antigos já se haviam contatado. Para outros, a Fonte Magna teria a mesma função que a Rosetta Stone, servindo para traduzir idiomas. A parte central do objeto possui caracteres cuja origem é totalmente desconhecida.



Esferas Klerksdorp
Imagem


Estes artefatos curiosos foram encontrados em um depósito de pirofosfato e pirita que remonta a 3 bilhões de anos em Ottadal, África do Sul.

São esferas metálicas peculiares de 0,5 a 10 centímetros de diâmetro que têm sulcos laterais que cercam todo o objeto. As esferas têm uma coloração entre castanha e avelã, num tom incomum para a hematita, substância de que estas esferas são constituídas.

Os geólogos acreditam que essas esferas foram formadas através da fissão de diferentes camadas de terra. Mas eles são os sulcos laterais que despertam o interesse ea curiosidade dos especialistas. Os seguidores da OOPA acreditam que as esferas e os sulcos desempenharam um papel em algum tipo de máquina desconhecida. Os slots teriam sido deixados por um sistema de leitura alienígena, como um código de barras.

Imagem

Os especialistas estão convencidos de que a natureza pode produzir sulcos semelhantes, que, embora curiosos, não tenham nada de anormal. As esferas foram estudadas em profundidade e estão em exibição em vários museus na África do Sul, Europa e América.



Vaso de Dorchester
Imagem


O vidro ou frasco de Dorchester é um objeto metálico recuperado em duas partes após uma explosão em uma mina em Dorchester, Massachusetts, em 1852. De acordo com os relatos do tempo coletado pelo Boston Transcript, as duas peças foram encontradas no meio do escombros da explosão. Aparentemente, o vidro estava dentro da pedra em um sólido pedaço de conglomerado e granito a aproximadamente 5 metros de profundidade.

O objeto em questão tem uma forma semelhante a um sino com exatamente 11,5 cm por 16,5 cm de diâmetro na base e 6,4 cm de diâmetro na parte superior. O corpo do recipiente é feito de uma liga de zinco em coloração prateada. As Testemunhas de Jeová descreveram símbolos curiosos ao redor do vaso com motivos florais e curiosos arabescos que sugerem uma linguagem estranha. Os especialistas do tempo afirmaram que o objeto tinha cerca de 100 mil anos e foi mostrado como uma descoberta sensacional.

Durante algum tempo, o vidro estava em exibição no Museu de História Natural em Dorchester. Acredita-se que fosse uma relíquia pertencente a uma civilização avançada que a havia depositado na rocha para ser encontrada em um futuro distante. Os rumores de uma estranha luminosidade e propriedades magnéticas cercaram o vaso durante décadas.

Estudos posteriores relataram que o "vidro" não era tão antigo quanto era pensado e que possivelmente não era mais do que um objeto de decoração (talvez um castiçal simples) deixado no lugar até que fosse desalojado pela explosão.

Os teóricos, no entanto, acreditam que o vaso Dorchester é evidência clara de que uma civilização avançada, capaz de dominar técnicas complexas de metalurgia, criou o objeto por algum motivo obscuro e colocou-o dentro da rocha.

fonte: Taringa



Enorme dedo de 38 centímetros descoberto no Egito.
Imagem


Esta é uma das descobertas mais estranhas no Egito. De fato, em 1988, umas das principais agências de jornal da Europa, a BILD.DE, publicou um artigo sobre o dedo enigmático.
Sem dúvida, um dedo muito feio.
De acordo com muitos, que dedo é uma farsa, mas os testes de raio-x e o certificado de autenticidade contam uma história diferente.

Os restos deste dedo são impressionantes; ele é um enorme dedo humanoide mumificado que tem 38 centímetros de comprimento. Pesquisadores do Egito acreditam que ele tenha pertencido à uma criatura que tinha mais de 5 metros de altura. Somente algumas poucas pessoas conseguiram imagens deste incrível artefato em 1988.

Numa entrevista com a BILD.DE, Gregor Spörri, uma pessoa que viu o dedo declarou ao público em 2012:

Gregor Spörri escreveu:Ele estava em um pacote retangular, cheirava mofo.
Fiquei totalmente surpreso quando vi o gigante dedo marrom escuro. Fui permitido de segurá-lo e também de tirar fotos. Uma cédula de dinheiro foi colocada ao lado dele para se ter ideia de tamanho. O dedo dobrado estava aberto e coberto com mofo seco.


Pesquisadores têm opiniões conflitantes quando se trata desta relíquia misteriosa da antiguidade. O maior problema é que o dedo não se encaixa em quaisquer teorias convencionais apresentadas pelos arqueólogos e historiadores. Eles simplesmente acham que é impossível.

fonte: Otimundo


Martelo do Texas
Imagem


À primeira vista, este pedaço de madeira e metal encrustado numa rocha parece inocente, mas alguns insistem que pode possuir milhões de anos. Logicamente, há muita controvérsia sobre tal alegação, mas qual é a idade do martelo de Londres no Texas, EUA?

Depois do artefato ter sido descoberto numa zona geográfica conhecida com Platô Edwards, levou 10 anos até que a rocha contendo o cabo de madeira fosse quebrada e revelasse o martelo em seu interior. Encontrado encerrado na pedra, o martelo deve ter sido construído antes de a rocha ter-se formado ao seu redor (um processo que muitos dizem ter levado milhões de anos).

Análises posteriores do artefato revelaram que o segmento do interior do cabo tinha se tornado carvão, e que a cabeça perfeitamente formada do martelo era constituída de uma gradação de ferro somente possível com tecnologia moderna. O cabo foi descrito exibindo um estado diferente de petrificação visto em árvores pré-históricas. No entanto, nem todos concordam com essas observações.

De acordo com alguns geólogos, esse lento processo de petrificação ocorreu há mais de 140 milhões de anos. Baseado neste cálculo, não somente a civilização humana existiu antes do processo histórico de petrificação ter ocorrido, mas os seres humanos da época possuíam tecnologia para criar um martelo moderno.

A cabeça, de acordo com estudos do Instituto de Metalurgia de Columbia, é composta de uma liga que contem 97% de puro ferro, 2% de cloro, 1% de enxofre, e não possui bolhas de ar. Como o cabo petrificado, a cabeça de ferro parece ter sido submetida a um processo de purificação e endurecimento, típico das ligas metálicas modernas do século 20.

Também foi observado que a rocha em que o martelo estava encerrado mostra sinais de que o processo de incrustação aconteceu em condições atmosféricas distintas, que são muito diferentes do que é visto nos dias atuais. De acordo com esses cientistas, a rocha nos fala de condições atmosféricas que de fato são mais consistentes com um era remota.

fonte: epochtimes.com.br


Objeto toróide de 31 milhões de anos
Imagem


Foi Encontrado Um Estranho Objeto de 31 Milhões de Anos de Idade!!!

O “SCP -1968”, em seu estado inativo, parece ser um toroide de bronze de fabricação desconhecida. Está marcado com uma escritura em relevo, como glifos, presume-se que eles atuam como superfícies elevadas de controle em cor Cinza. Seu diâmetro maior tem 121cm e o menor 28 cm .
Visualmente é difícil focar-se no artefato, já que parece curvar ligeiramente a luz. Também foi observado leves efeitos flutuantes de gravidade.
Ficou demonstrado que é impossível obter uma amostra do artefato . Experimentos com espectrográfico foram inconsistentes.

O SCP -1968 demonstra suas propriedades anômalas quando é manejado por um ser humano. Quando se aplica nele uma força moderada ele se deforma de maneira imprevisível. À medida em que a deformação progride, sua composição material parece mudar, até que em um momento se converte em um estado animado, que parece rodar ao redor do sujeito em forma ondulada e em alta velocidade .

Seus efeitos principais se manifestam quando atinge um patamar imprevisível, depois do qual, o artefato volta rapidamente a seu estado inerte.

Imagem

5Neste ponto, o objeto terá mudado sua memória de um passado radicalmente diferente. Já não estará mais de acordo com o seu registro histórico. Sua historia pessoal auto-inscrita, não estará de acordo com os registros do pessoal da Fundação. Como consequência, faz o pessoal da pesquisa assumir uma postura de agitação e paranoia. Quanto mais pronunciada é a deformação, mais divergentes serão as lembranças. Existe a hipótese de que os glifos, através de um meio ainda desconhecido, de alguma maneira indecifrável, afeta o grau de deformação e seus efeitos resultantes.

Imagem

O SCP -1968 foi encontrado em finais de 2001 a partir de uma amostra extraída em grande profundidade durante uma pesquisa petroquímica perto de Zackenburg, na Groenlândia . Baseados na profundidade em que foi encontrado, corroborado pelas leituras paleoatmosphericas, se estima que o artefato tenha entre 31.000.000 a 2,3 milhões anos de idade .
O pessoal da Fundação interceptou uma transmissão de rádio acusando o seu descobrimento, assim por causa de sua inusual natureza e sua idade, escondeu o artefato num lugar seguro.

fonte: ImageClick
Este artefato tem uma comprovação de falsidade, que é um artigo com o nome dele num site que tem como finalidade criar histórias incríveis que pareçam ser verdadeiras.
Esta aqui

Por outro lado, não existe alguma menção dele no e-farsas.
fonte desta informação: Matemarcos
Eu amo a Dayse, a mulher da minha vida

Voltar para “Notícias e Conversa livre”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante